terça-feira, 24 de junho de 2008

Jupiter Maçã (Jupiter Apple) - A Sétima Efervescência (1996 Brazil/RS Psychedelic Rock)


MEUS AMIGOS ENEVENENADOS ME PERMITAM PRESTAR ESTA SINGELA HOMENAGEM A UM CONTERRÂNEO MEU GAÚCHO AQUI DE PORTO ALEGRE QUE CERTAMENTE MERECE ESTAR ENTRE OS VENENOS!! O CARA FAZ UM SOM PRA LÁ DE MALUCO E ALTERNATIVO!! É GENTE DA TERRA FAZENDO MÚSICA PSICODÉLICA E EXPERIMENTALISMOS NESTA ÉPOCA DE COMERCIALISMOS EXACERBADOS E IDIOTAS!! VENENO GAÚCHO E BRASILEIRO!! NÃO SÓ DE CHIMARRÃO VIVE O GAÚCHO!! A HISTÓRIA DISSO TUDO TÁ CONTADA AÍ LOGO ABAIXO!!

Júpiter Maçã ou Jupiter Apple, nome artístico de Flávio Basso (Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 26 de janeiro de 1968), é um cantor e compositor gaúcho. É ex-integrante dos Cascavelletes e TNT. Seu primeiro disco solo, A Sétima Efervescência (1997), é calcado nos moldes de The Piper At The Gates Of Dawn, do Pink Floyd, com psicodelia e experimentação (e, por um leve momento, um prenúncio de sua obra ulterior, o final de "Sociedades Humanóides Fantásticas", uma bossa-nova psicodélica). As músicas desse disco são grandes referências do rock gaúcho. Contém algumas fixadas no imaginário underground, como "Um Lugar do Caralho" (regravada por Wander Wildner) e "As Tortas e as Cucas".

Após experimentar um grande sucesso com o lançamento desse disco, torna-se Jupiter Apple, compõe em inglês, e decide misturar bossa-nova e vanguarda. Muitos fãs não o entenderam, preferindo a psicodelia "simples" d'A Sétima. Essa mistura inusitada está muito bem feita no seu segundo disco, Plastic Soda (1999). Ele começa com uma canção de nove minutos, "A Lad And A Maid In The Bloom", que define o caráter inovador do disco.

Em 2002 é lançado Hisscivilization, o disco mais ambicioso (talvez incompreendido) de Jupiter Apple. Longas experimentações eletrônicas (destaque para "The Homeless And The Jet Boots Boy"), bossas elétricas e lounge, valsa, cítaras e MOOGs, condensados em momentos, ora de leveza, ora de paranóia. É seu disco mais hermético: se, para os que estavam acostumados com o rock and roll dos Cascavelletes, a Sétima Esfervescência já era algo inesperado (psicodelia em doses cavalares), a reação causada pelos dois discos da fase Apple são ainda mais dramáticas.

Em 2006 era esperado o lançamento do disco Uma Tarde Na Fruteira. Nele, o "Apple" volta a ser "Maçã", mas continua explorando o lado brasileiro e experimental, com músicas já eternizadas no subconsciente do underground porto-alegrense, como "A Marchinha Psicótica De Dr. Soup". Esse (ainda) não-lançado disco pode ser considerado o mais acessível do autor. De certa forma, tudo que já foi composto pelo Júpiter está resumido neste disco: desde canções mod sessentistas, levezas jazz, baladas domingueiras e bob-dylanescas, concretismos e timbres eletrônicos.

1 Um lugar do caralho
2 As tortas e as cucas
3 Querida superhist x Mr Frog
4 Pictures and paintings
5 Eu e minha ex
6 Walter Victor
7 As outras que me querem
8 Sociedades humanóides fantásticas
9 O novo namorado
10 Miss lexotan 6 mg garota
11 The freaking Alice (hippie under groove)
12 Essência interior
13 Canção para dormir
14 A sétima efervescência intergaláctica

NEW LINK REPOST - OK
Postar um comentário