segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Jericho Jones - Junkies Monkeys & Donkeys (1971 Israeli Rock Prog Psych)


GREAT ISRAEL BAND!! GREAT POISON!! BANDA ISRAELENSE DA MELHOR SAFRA!! ESTA BANDA ANTES SE CHAMAVA "THE CHURCHILLS" E FÊZ COM ESTE NOME UM EXCELENTE ALBUM QUE VOU POSTAR LOGO DEPOIS DESSE!! TAMBÉM VOU POSTAR O TERCEIRO ALBUM DOS CARAS DEPOIS QUE VIERAM A SE CHAMAR APENAS JERICHO!! VENENO ISRAELENSE DA MELHOR QUALIDADE!! VEJAM A HISTÓRIA DOS CARAS E DOS DOIS DISCOS QUE TIREI DA NET E QUE FOI ESCRITO COM PROPRIEDADE POR WAGNER XAVIER!!

Jericho Jones, ou simplesmente Jericho. Se você não conhece, sem problemas, afinal pouquíssimas pessoas no país deviam conhecê-los antes dos bens lembrados re-lançamentos destas verdadeiras obras de arte do rock and roll.

A banda Jericho Jones, originária de Israel, apesar de uma pequena discografia, teve três nomes durante sua existência. Eles iniciaram suas atividades ainda em Israel em meados de 1968 com o nome de The Churchills. Com o objetivo de se projetar no cenário roqueiro, a banda tomou duas atitudes; primeiro, mudou-se para a Inglaterra; segundo, trocou o nome para Jericho Jones. Formada por Alain Romano (Guitarra), Mike Gabrielle (Baixo), Robb Huxley (guitarra), Danny Shoshan (Vocal) e Ami Criebich (bateria), o quinteto Jericho Jones iniciou sua carreira discográfica com o excelente álbum "Junkies, Monkeys & Donkeys" de 1971. O álbum, é uma mistura de hard rock com alguns momentos que lembram o psicodelismo do final dos anos 60. A primeira faixa é "More Tranquilitatas" (2’21), cujo trabalho instrumental é o grande destaque. A faixa começa numa levada pop da época, dando a impressão que o álbum irá seguir esta linha. Em seguida, "Main in the Crowd" (3’16”) mostra para que o Jericho veio. Faixa pesada, com grande trabalho de guitarra, enfim, puro hard rock da melhor safra. A música seguinte, "There is Always a Train" (6’35) mostra que o disco realmente é muito bom. Com um belo dueto vocal, violões e guitarras bem dosadas – Excelente !!!. A faixa seguinte, "Yellow and Blue" (5’01) é uma balada que neste momento cai muito bem (para garantir um fôlego para o restante do álbum).

O início da próxima faixa, "Freedom" (3’50) lembra bastante a levada de "Cocaine" (J.J. Cale) gravada também por Eric Clapton, com algumas pitadas de guitarra a lá Rolling Stones – Muito Boa !!!. Segue-se a curta instrumental "Triangnium" (0’48) e a ótima No School To-Day (5’51). A faixa título, "Junkies, Monkeys & Donkeys" (7’36) surge enigmática, progressiva, lembrando (inevitável) Led Zeppelin em alguns momentos. É outra que também se destaca pelo excelente instrumental, ótimo vocal e solo de guitarra dos melhores. O disco, com 10 canções chega ao final com a melhor faixa de todas. Chamada "What Have We Got to Lose" (4’26) é uma música perfeita, combinação de peso, melodia e um grande instrumental – Enfim, Fantástica ...

Este álbum, diferentemente do segundo, se caracteriza por uma maior diversidade, mais próximo de influências da época, como Led Zeppelin, Jimi Hendrix, Cream, entre outros. Recentemente este álbum foi relançado pela Akarma, numa edição luxuosa, trazendo, inclusive, cinco canções inéditas (de primeira linha) da banda.

O segundo álbum já traz apenas Jericho e é puro hard rock. Lançado em 1972, o disco homônimo já possui um estilo mais definido. Contra o fato de não ser tão variado, temos a qualidade de ouvir um disco mais pesado, denso e ainda com a
excepcional qualidade da banda.

O disco abre com "Ethiopia" (4’20), de cara um show instrumental. Ouvindo este som tem-se a impressão de estarmos nos anos 80 ouvindo aquele metal alucinado. O guitarrista é simplesmente sensacional. "Don’t You Let Me Down" (3’40), dá um tempo no peso e nos apresenta outra boa canção. O disco também contém "Justin and Nova" (7’15), linda de morrer, balada com um belo teclado e vocal em grande estilo. A musica conta até com orquestra (coisa meio em moda hoje em dia) – um primor de música !!! Para finalizar segue a longa e épica "Kill Me With Your Love" (9’00), que para deixar o leitor entusiasmado e curioso, também é muito boa. Um rockão .... na veia Este segundo disco também foi relançado, pela Repertoire, alguns anos atrás.

Infelizmente após estes dois discos o Jericho encerrou suas atividades. Porém fica como legado esta pequena obra (prima) que apesar do tempo, não soa datado, velho ou coisa parecida (existem discos que, como uma boa bebida, ficam melhores a medida que o tempo passa – e este parece ser o caso) e merece ser escutado com bastante atenção, pois faz jus a fama do hard rock setentista. O Jericho Jones (ou Jericho) pode não ter alcançado um grande sucesso em sua época, mas é inegável não reconhecer sua qualidade, estilo próprio e grande capacidade de criar grandes canções. Mesmo ouvindo várias bandas da época, seguramente classifico o Jericho como uma das melhores bandas do estilo. Sua força instrumental é fantástica, além de contar com um cantor com uma grande voz. Aproveite .... corra para conhecer !!!
por Wagner Xavier Wagner2505@yahoo.com.br

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

The Churchills band(aka Jericho Jones or Jericho) were an Israeli band that formed a Psychedelic hard rock band sometime in 1965 and put out three sought after classics.The 1968 Cherchilim album has alot of early 60's garage psych sounds,at times sounding a bit like the Doors.The album Junkies,Monkeys and Donkeys came out in 1971.It came out not as the Churchills but as Jericho Jones.Apparently the name Churchills didnt go well with the british press.In 1972 followed an ep with five songs.Simply dropping the "Jones" they went on to be known as Jericho. The Lineup changes in The Churchills were many,and it is divided into four different ensembles from 1965-1973.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Info:
The Churchills (or The Churchills Band) is an Israeli band founded in 1965, and was active until the mid-70s. It was a part of the rythm bands scene that were active in Israel in the 70s, especially in Ramla. The band played Rock music in English, from Psychedelic Rock to Hard Rock. It was also active in other countries, under the name of Jericho Jones, so their name wouldn't offend the British. The band has been a leading force in the early Israely beat scene, but it was their cooperation with Arik Einstein that helped them cross over to the mainstream of Israeli pop and gain recognition. Their collaboration with Einstein proved to be very influentive on the Israeli rock. It began when The Churchills were invited to work with einstein on his third solo album Poozy, recorded in 1969. This is considered by many to be the very first true rock album in hebrew. The Churchills played on half of the tracks in that album, one of them was a hebrew version of one of their own songs ("When you're gone"). Following "Poozy", the Churchills also played with Einstein in his gigs, and continued to play and produce three more albums with Einstein: Shablul (1970), Plastelina(1970) and On Avigdor's Grass" (1971). . Instrumantal to the Churchills' sound at the time was the joining of two foreign members - Canadian vocalist Stan Solomon and British guitarist Robb Huxley (formerly with the Tornados).

TRACK LISTING:
1. Mare Tranquilitatas
2. Man In The Crowd
3. There Is Always A Train
4. Yellow And Blue
5. Freedom
6. Trangulum
7. No School To Day
8. Junkies Monkeys & Donkeys
9. Junkies Monkeys & Donkeys
10. What Have We Got To Lose
11. Mama's Gonna Take You Home
12. So Come On 13. Mona Mona
14. Champs
15. Hey Man
Postar um comentário