PSICO BR Disco e Posters Psicodélicos

segunda-feira, 28 de julho de 2014

ANDROMEDA - Andromeda (1969 UK Hard Psych Rock)


MAIS UM DA SÉRIE: 
"EU TAVA DEVENDO ESSA 
POSTAGEM AQUI NO BLOG"!! 
ESTOU REPARANDO MAIS UMA INJUSTIÇA HISTÓRICA POSTANDO ESSE ÁLBUM, POIS É UM VENENO EXCELENTE E QUE MERECIA JÁ A MUITO TEMPO ESTAR ENTRE OS VENENOS!!

ANOTHER POST SERIES: "I WAS THAT MUST POST IN THE BLOG HERE"!! REPAIR A GREAT INJUSTICE POSTING THIS ALBUM! IS A GREAT ALBUM AND I deserved LONGER BE HERE TO MUCH TIME AGO!!

ESSA POSTAGEM É O PRIMEIRO ALBUM DA BANDA E É UMA EDIÇÃO ESPECIAL COM OITO BONUS TRACKS!! VENENO RECOMENDADO!! ABAIXO UMA BOA RESENHA SOBRE A BANDA FEITA PELO AMIGO WAGNER XAVIER!!

THIS POST IS THE FIRST ALBUM OF THE BAND AND IS A SPECIAL EDITION WITH EIGHT BONUS TRACKS! VENENO RECOMMENDED! BELOW A GOOD REVIEW ON THE BAND MADE BY WAGNER XAVIER FRIEND!

"O Andrômeda foi uma daquelas bandas que possuem a capacidade de juntar, "antes da fama", vários craques que por outras circunstancias foram fazer sucesso em outras grandes bandas. Originalmente, a banda inglesa foi formada no maravilhoso (pelo menos lá por aqueles lados) ano de 1968, tendo em sua primeira formação John Cann na guitarra, Richard Sherman no vocal, Roger Dean no baixo e Keith Hodge nos teclados. Após algumas tentativas de êxito, o pessoal saiu, ficando apenas John Cann, que rapidamente recrutou Mick Hawksworth para o baixo e Ian Mclane na bateria para então formar o Andrômeda.

Apesar de alguns considerarem o Andrômeda como uma banda de rock progressivo, acredito ser mais fácil identificar a banda com um estilo mais próximo do hard psicodélico com algumas levadas progressivas. Após o difícil inicio, a banda conseguiu assinar com a RCA Records para um primeiro single. Com algum êxito, eles conseguiram fechar o contrato para a gravação do primeiro LP já em 1969.

O disco em questão é daquelas bons de serem ouvidos de ponta a ponta. Começa com Too Old (4'58), sonzão psicodélico com destaques para as guitarras e uma sensacional linha de baixo. Este início diz tudo: o instrumental beira a perfeição, o refrão pega de primeira, enfim, o disco promete. A segunda faixa é Day of the Change (5'02), música mais tranqüila do que a anterior. O baixo novamente impressiona pela qualidade e a melodia é de extrema beleza. A próxima é And Now The Sun Shines (4'00) uma levada mais jazzistica, destacando uma guitarra mais light e um vocal que beira algo mais baladeiro. Bela canção.

Turns to Dust (6'49) é a quarta faixa, e surge dividida em três partes: Discovery, Sanctuary e Determination. O resultado é pauleira típica do final dos anos 60. O acompanhamento do baixo é simplesmente genial. Lembra de leve algo dos três primeiros álbuns da fase pré hard rock do legendário Deep Purple, ou coisas do ótimo Warhorse. O solo de guitarra no meio desta música é algo para "viajar" de tão belo, e de extremo bom gosto. O baixo alucinado de Mick na parte final da música é algo particularmente sensacional. A melhor faixa do disco.

Return to Sanity (8'20), a seguinte, também é dividida em três partes: Breakdown, Hope e Conclusion. Esta é a faixa mais enigmática do álbum. O destaque desta vez fica por conta da guitarra que sola simplesmente o tempo todo. A sexta faixa é The Reason (3'32), a única cuja autoria não é de John Cann, sendo composta pelo baixista Mick Hawksworth. Apesar de interessante trabalho instrumental não está entre as melhores do disco. Na seqüência temos I Can Stop the Sun (2'10), a balada do disco. Lindo trabalho de vocais e apenas acompanhamento da guitarra.

Para finalizar o álbum surge When to Stop (8'32), também dividida em três temas, sendo The Traveller, Tunning Point e Jorney's End. Grande estilo para o fechamento deste clássico do psicodelismo inglês. A faixa começa calminha, mas atinge seu ápice no final, tornando-se uma das melhores do álbum, no nível de Turns to Dust. Apesar de sua reconhecida qualidade, o Andrômeda não conseguiu o sucesso esperado, permitindo que seus integrantes partissem para novos projetos, e alcançassem exito desta forma. Certamente o Andrômeda foi um belo estágio para eles.

Primeiro John, que virou DuCann, partiu para o antológico Atomic Rooster, ficando por lá por dois anos e tendo participado da gravação dos obrigatórios Death Walks Behind You e ...In Hearing Of, sendo sem dúvida os dois melhores álbuns da excepcional banda do organista talentoso e alucinado Vicent Craine.

Logo após a saída do Atomic Rooster, John formou junto com o baixista John Gustafson, ex-Quatermass, e o baterista Paul Hammond o maravilhoso Hard Stuff. O resultado da união foi a gravação da obra prima Bullet Proof, em 1972. John Cann ainda tocou no irlandês Thin Lizzy em 1974 para finalizar a tour européia da banda quando da saída do guitarrista Gary Moore. Ele ainda tocou com outras bandas além de alguns trabalhos solos durante os anos 80.

O fantástico baixista Mick ajudou a fundar o também sensacional Fuzzy Duck, tendo gravado em 1971 o ótimo e único álbum desta banda. Mick ainda participou da versão alternativa do Ten Years After, do guitarrista Alvin Lee, chamdada Ten Years Later, durante o final dos 70. Já o baterista McLane não conseguiu êxito após o fim do Andrômeda, tendo se retirado da cena musical.

Sobre os relançamentos do Andrômeda, é conhecida uma versão em CD lançada pela Repeitore Records em 1994, e que contém nada menos do que oito bônus tracks, sendo que as duas primeiras são as faixas do single gravado pela banda em 1968. O material inédito é bem interessante também.

Já o LP, é covardia. Andrômeda foi relançado em 2000 pela Angel Air Records, com capa dupla, fotos da época, que, inclusive, trazem cartazes de shows da banda sozinha ou com convidados como Black Sabbath, além de uma foto com o Andrômeda tocando com John Peel dando uma canjinha. A única reclamação é que mudaram a cor da capa de laranja (original) para lilás, mas tudo bem, a edição ficou muito bonita mesmo assim. Sem dúvida um dos grandes álbuns desta prolifera e criativa época dos bons sons."
Texto: Wagner Xavier


John DuCann - Guitar, Vocals
Mick Hawksworth - Bass, Vocals
Jack McCulloch - Drums
Ian McLane - Drums

01.Too Old - 5.00
02.Day of The Change - 5.04
03.And Now the Sun Shines - 4.01
04.Turn to Dust - 6.52
05.Return to Sanity - 8.22
06.The Reason - 3.33
07.I Can Stop the Sun - 2.10
08.When to Stop - 8.43
09.Go Your Way (Bonus) - 3.05
10.Keep Out Cos I´m Dying (Bonus) - 3.47
11.The Garden of Happiness (Bonus) - 3.13
12.Return to Exodus (Bonus) - 2.28
13.Let´s All Watch the Sky Fall Down (Bonus) - 4.04
14.Darkness of Her Room (Bonus) - 5.12
15.See Into the Stars (Bonus) - 7.15
16.Search On (Bonus) - 3.09

quarta-feira, 16 de julho de 2014

ANDWELLAS DREAM - Love And Poetry (1969 Ireland Psych Prog Rock)


EU TAVA DEVENDO ESSA POSTAGEM AQUI NO BLOG!! 
REPARO UMA INJUSTIÇA HISTÓRICA POSTANDO ESSE ALBUM, 
POIS É UM VENENO EXCELENTE E QUE MERECIA 
JÁ A MUITO TEMPO ESTAR ENTRE OS VENENOS!!

ÓTIMA BANDA IRLANDESA FORMADA EM BELFAST EM 1968 E COM O NOME DE "THE METHOD", MAIS TARDE, QUANDO SE MUDARAM PARA LONDRES MUDARAM O NOME PARA "ANDWELLAS DREAM"!! DEPOIS DESSE ALBUM MUDARAM PARA APENAS "ANDWELLA"!! ESSE PRIMEIRO DISCO DOS CARAS CONTAVA COM "BOB DOWNES", SAXOFONISTA E FLAUTISTA E UM MÚSICO DE JAZZ ROCK MUITO RENOMADO (ALBUM SOLO DO CARA JÁ POSTADO AQUI)!! ESSA POSTAGEM É UMA EDIÇÃO ESPECIAL COM BÔNUS TRACKS BEM LEGAIS!! A SONORIDADE É PSICODELIA PROGRESSIVA BEM TÍPICA DO FINAL DOS ANOS 60, COM PITADAS FOLK E COM BELAS MELODIAS!! 
A BANDA É DE QUALIDADE!! ALTAMENTE RECOMENDADO!!

I WAS THAT MUST POST HERE IN THE BLOG! REPAIR A GREAT INJUSTICE POSTING THIS ALBUM! IS A GREAT ALBUM AND I deserved LONGER BE HERE TO MUCH TIME AGO!

Andwella were a Northern Irish psychedelic rock band formed in 1968, originally as The Method and later renamed Andwellas Dream. Their first album, as Andwellas Dream, Love and Poetry, was recorded in London in 1968, and featured jazz musician Bob Downes on saxophone and flute,[1] and Wilgar Campbell on drums on the track "Felix".[2]:44 However, the album failed to sell, and Lewis then recorded a solo album, privately pressed, on the Ax label in 1970; which included new versions of some of the Andwella's Dream songs.[1] Then in 1970 David Lewis wrote the music for and produced poet David Baxter's "Goodbye Dave" album, for which he was backed by Andwella. With the addition of Dave McDougall on guitar and vocals, the band was renamed Andwella. This line-up issued World's End, before Dave Struthers replaced Nigel Smith on bass and Jack McCullock joined as drummer.[1] This lineup recorded the bands' last album, People's People, in 1971, after which the band broke up in 1972. Lewis later went on to write "Happy to Be an Island in the Sun", recorded in the 1970s by Demis Roussos.


- Dave Lewis - guitar, piano, organ, vocals
- Nigel Smith - bass, vocals
- Gordon Barton - drums
- Bob Downes - flute, Chinese bells, Tam-tam, finger cymbals, dry leaves, Chinese bamboo flute

01.The Days Grew Longer For Love - 3:55
02.Sunday - 3:13
03.Lost A Number, Found A King - 6:03
04.Man Without A Name - 2:41
05.Clockwork Man - 2:44
06.Cocaine - 4:59
  http://youtu.be/m4y_vXDqn3Q
07.Shades Of Grey - 3:36
08.High On A Mountain - 2:31
09.Andwella - 3:15
10.Midday Sun - 3:40
11.Take My Road - 3:22
12.Felix - 4:16
13.Goodbye - 2:17
14.Mrs. Mann - 3:59
15.Mister Sunshine - 3:17
16.Every Little Minute - 3:55
17.Michael FitzHenry - 3:42
18.Take My Road - 3:26
19.Man Without A Name - 2:38
20.Paradise Isle - 3:44
21.Miles Away From My Baby - 4:37

https://www.mediafire.com/?ot87axmyqw72dol

MAIS UMA ENTREVISTA DESSE BLOGUEIRO - ANOTHER INTERVIEW THIS BLOGGER


O SITE "NADA DISCRETOS" INAUGUROU UM NOVO ESPAÇO DE ENTREVISTAS E A PRIMEIRA FOI COMIGO SOBRE O BLOG VENENOS DO ROCK!!!

CONFIRAM A ENTREVISTA AQUI:

THE SITE "NADA DISCRETOS" OPENED A NEW AREA OF INTERVIEWS AND THE FIRST WAS ME ABOUT THE BLOG POISON ROCK! 

CHECK OU THE INTERVIEW HERE:

quarta-feira, 9 de julho de 2014

M.O.T.U.S. - Machine Of The Universal Space (1972 France Progressive Jazz Rock)


ÚNICO ÁLBUM DESSA BOA BANDA PROGRESSIVA FRANCESA DE CURTÍSSIMA DURAÇÃO, COM VOCAL EM INGLÊS E RECHEADO HAMMOND, BATERIA E PERCUSSÃO!! O GUITARRISTA E VOCALISTA "IAN JELFS" ANTES ERA DA BANDA "CIRCUS" E DEPOIS IRIA FORMAR A BOA BANDA PROGRESSIVA FRANCESA CHAMADA "ALICE"!! A SONORIDADE EM GERAL É PROGRESSIVO ROCK COM PITADAS FORTES DO JAZZ, MAS AS VEZES PASSA PARA UM HARD ROCK MAIS TRADICIONAL E AINDA EM ALGUNS MOMENTOS CONTÉM PEQUENAS DOSES SUTIS DO POP ROCK!! DE MÚSICAS CURTAS EM DURAÇÃO, É AGRADÁVEL E LEGAL DE ESCUTAR!! UM BOM ÁLBUM, APENAS ISSO!! VALE DAR UM TÉKINHO!!

Psych Jazzy Prog (France), Original release 1972. Feat. Ian Jelfs , future member of french prog group "Alice". Prog rock with jazz influences. In some tracks you can here strong influences of early Caravan. Some guitar parts are in style of early Allan Holdsworth playing. Great Hammond organ sounds in classic rock style. Guitar and vocalist play before (with Mell Collins) in legendary Circus band.


Ian Jelfs – guitar, lead vocal;
Michel Coeuriot – organ, keybords, vocal & percussions;
Gilles Papiri – bass & percussions;
Philippe Combelle – drums & percussions.

1-Let It Get Higher (3’41”)
2-Summer Song (3’35”)
3-Ba'Albeck Stone (3’39”)
4-Out In The Open (3’49”)
5-Green Star (3’22”)
6-Taihnanaco Road (3’09”)
7-Aldebarente (4’54”)
8- Mesopotamie Natale (5’40”)
9- Proxima (2’40”)

terça-feira, 8 de julho de 2014

BLACK MERDA - The Psych Funk of Black Merda (US Psych Soul Rock)


NÃO AMIGOS!! NÃO É UMA BANDA DE MERDA NÃO!! TRATA-SE DE UMA BANDA AMERICANA ATIVA DESDE A METADE DOS ANOS 60 E INÍCIO DOS 70, OS CARAS SÃO MUITO BONS E PRECURSORES DO PSYCH FUNK ROCK!!! VENENO MUITO BOM E UM DOS MELHORES NESSE ESTILO DE SOM!! PARA QUEM GOSTA DE UM BOM FUNK PSICODÉLICO BEM SWINGADO, PEGA QUE É GARANTIDO!!

PARA QUEM ACHA O NOME DA BANDA ESTRANHO, ESTÁ AQUI ESSA CITAÇÃO QUE ACHEI NA INTERNET E QUE MELHOR RESUME ESSA QUESTÃO:

...vem do sotaque nos guetos negros americanos e do psicodelismo de uma época em que as bandas tinham nomes de cores: Blue Cheer, Pink Floyd, Deep Purple, etc. Mas, para azar dos irmãos Hawkins & seus comparsas, o título que escolheram para sua banda de rock tem duplo sentido em pelo menos 3 línguas latinas. Quem explica é Veesee ‘The Mighty V’, que além do baixo comanda os vocais da banda: 

“Ficamos sabendo na internet que em português, francês e italiano ‘merda’ significa ‘cocô’! Originalmente nosso nome seria Black Murder, mas mudamos a grafia para Merda por causa da pronúncia em inglês, então nosso uso da palavra ‘merda’ não vem do português, francês ou italiano. Merda means murder! Mas de qualquer jeito, ‘shit’ é usada de diferentes maneiras na cultura afroamericana: ‘You need to get your shit together!’, ‘Where’s my shit?’, ‘Give me the real shit!’, ‘That’s some real good shit!’, ‘I really like your shit!’... Então, dá pra dizer que ‘Black Merda plays some real cool black shit!’...”

Pois bem, longe do que diz o nome em português, Black Merda significa, no jeitão do gueto norte-americano, "Black Murder", o que por sua vez, traduzido, quer dizer "Chacina Negra". Seus integrantes, além de serem excelentes músicos, também foram militantes políticos e fizeram parte dos Black Panthers de Detroit. Tocaram em diversas manifestações públicas e inclusive, dividiram o palco com os caras do MC5.

---------------------
A collection of ultra rare material from the mighty Black Merda and affilliates – including early work credited to The Soul Agents (a pre-cursor to Merda) and solo credits for lead singer VC L. Veasey! Psych Funk is a very apt description to pretty much all of the music in the set – with that sinister guitar groove, funky bass and rollicking drums. The vocals range from the soul funk school – especially the couple of tracks sung by Linnie Walker (the sister of Black Merda members Charles and Anthony Hawkins) – to more psychedelia-learned phrasings – not unlike early Parliament! Tracks include an alternate versions of the Black Merda tunes "Cynthy-Ruth" and "Reality", "People Let Me Know" and "Darn Well" featuring vocals by Linnie Walker, the Soul Agents excellent funk version of "Foxy Lady", and the VC Veasey tracks "Do Nothing Wrong" and "Original Man".  © 1996-2013, Dusty Groove, Inc.


1. Cynthy-Ruth (Alternate Take) (2:58)
2. People Let Me Know (3:14)
3. Foxy Lady (3:35)
4. Got Me Running (2:48)
5. As Sisters And Brothers (4:41)
6. We've Got The Power (6:26)
7. Reality (Alternate Take) (2:00)
8. Darn Well (3:13)
9. Foxy Lady (Instrumental) (3:14)
10. Do Nothing Wrong (4:48)
11. The Original Man (3:42)